HOME / COM a Gente / Estudo dos Discipulados / Atitudes para Desenvolver a Liderança

Administrando as Finanças na Visão

CASA DE ORAÇÃO MUNDIAL “2011: Ano do Propósito e da Presença da Glória” Discipulado – 29.07.2011 Tema: Administrando as Finanças na Visão Texto: At. 6:1-3 Introdução: Uma das áreas mais perseguidas na igreja pelo opositor é exatamente a área administrativa e financeira. Se esta área não estiver bem planejada e organizada certamente trará alguns transtornos para o ministério. A seguir veremos alguns passos que deveremos tomara para uma boa execução dos serviços: 1) Levantar uma equipe conforme determina (At. 6-3) – Devemos escolher entre os discípulos da igreja pessoas capacitadas, de boa reputação, cheias do Espírito Santo e de grande sabedoria nesta área, não podemos colocar pessoas sem conhecimentos administrativo e contábil para executar tais tarefas. É comum algumas igrejas colocarem pessoas não qualificadas para exercerem funções de responsabilidade que compromete o bem estar e o desenvolvimento do ministério por uma simples necessidade pessoal, na tentativa de ajudar a referida pessoa. A ajuda nós poderemos dar de outra maneira e outra forma. 2) Levantar ferramentas adequadas para a execução das tarefas – Hoje em dia existe no mercado softwares qualificados que funcionam como gerenciador de todas entradas e saídas (receitas e despesas) que nos facilitará a ter uma visão concreta e objetiva de como está as finanças do ministério, não importa o tamanho da igreja em membros, mas faz-se necessário possuímos programas que mantenha devidamente organizada as finanças. Este é o tipo de investimento de grande importância para o bom controle financeiro. Se tivermos sonhos em vermos nossos ministérios grandes em multidões, não podemos abdicar dessa ferramenta, ela nos proporcionará a fazermos um planejamento anual, mantendo sempre uma reserva para uma emergência. Um fluxo de caixa nos mostrando constantemente a situação do ministério. Se quisermos ter crescimento precisa haver investimento. 3) Levantando parceiros – Muitas igrejas encontram dificuldades no seu relacionamento com as instituições financeiras, especificamente os bancos, por desconhecer a maneira de trabalhar da instituição, prejudicando assim os benefícios que poderiam conseguir ex. linha de crédito, financiamentos, contas garantidas, cartões de crédito, veículos, etc. 4) Levantando quadro de funcionários – Nunca podemos permitir que nenhuma pessoa trabalhe na instituição sem ter os seus direitos legais reconhecidos, ex.: carteira de trabalho assinada e seus tributos devidamente recolhidos, INSS, FGTS, etc. Isto certamente agradará o coração de Deus e evitará investidas e futuros transtornos no ministério do trabalho. Hoje em dia existe uma lista de processos trabalhistas envolvendo igrejas. “Caro Irmão”, não entre nesta lista (Ef. 6:12) diz: Que nossa luta não é contra o sangue nem contra a carne mais contra os principados e potestades, não caia em tentação.