HOME / COM a Gente / Estudo das Células / Fazendo a Vontade do Pai

Fazendo a Vontade do Pai

PRIMEIRA IGREJA BATISTA DO BRASIL

“2018 – ANO DA INTIMIDADE COM DEUS”

Célula de Multiplicação –  21.10.2018

Tema: Fazendo a Vontade do Pai

Texto: Mat 7:21

 

INTRODUÇÃO

A coisa mais importante no nosso relacionamento com Deus é saber e fazer a Sua vontade.  O que atrapalha o homem de ouvir a voz de Deus é não renunciar a sua própria vontade. Por haver o desejo de só fazer o que o “eu” quer, há a tendência de só ouvir o que convém. Quando alguém faz um pedido a Deus e Ele responde com um “não”, muitos não ouvem porque só querem ouvir um “sim”. Acontece que, quando Deus responde “não”, é para nos proteger, pois, aquilo que se está a pedir, pode não ser bom ou ainda não é o tempo para acontecer, entendendo que Deus sempre quer o melhor para nós.

 

1. BUSCANDO A VONTADE DE DEUS

Quando se quer descobrir qual é a vontade de Deus, é preciso estar com o coração aberto para ouvir a resposta que vem da Sua perfeita vontade. Assim se tem diretrizes importantes para nortear a nossa vida cotidiana. Geralmente, quando não existe uma proibição declarada para algum procedimento, surgem perguntas como: “o que eu quero fazer é lícito? A Palavra de Deus permite? A isso a Bíblia nos diz: “todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam” (1Co 10.23. Isto é: Tudo é permitido, mas não temos permissão de fazer o que a Palavra de Deus expressamente proíbe, como: matar, roubar, mentir, adulterar, dar falso testemunho, etc. Porem, quando o apóstolo Paulo escreveu esse texto, falava de coisas que não são vetadas pelas Escrituras. Ir a certos lugares pode ser lícito, mas será que convém? Trará isso algum proveito para si ou para outros? A conduta do crente deve resultar em edificação tanto para si, como para aqueles que o rodeiam. Bom é ouvir a voz de Deus quando nos fala na sua Palavra: “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai!” (Fl 4.8).

 

CONCLUSÃO

Devemos avaliar se as coisas que fazemos no nosso dia a dia estão dentro da vontade do Pai e se são feitas para a glória dEle, ou se estamos  buscando  nossos  próprios interesses. Será que temos colocado no nosso coração o desejo ardente de fazer a vontade do Pai? Estamos tendo a mesma atitude de Jesus ao dizer: “a minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra” (João 4.34). Não temos outro motivo e razão a não ser vivermos e proclamarmos o Reino de Deus na Terra. Fomos chamados para pregar o Evangelho e fazermos discípulos de todas as nações.