HOME / COM a Gente / Estudo das Células / Arrependimento e Remorso | 22/09/2019

Arrependimento e Remorso | 22/09/2019

PRIMEIRA IGREJA BATISTA DO BRASIL

“2019 – ANO DO DERRAMAR DO ESPÍRITO”

Célula de Multiplicação –  22.09.2019

Tema: Arrependimento e Remorso

Texto:   2CORINTÍOS 7:9-11

 

INTRODUÇÃO

A tristeza segundo Deus não produz remorso, mas sim um arrependimento que leva à salvação e a tristeza, segundo o mundo, produz morte. Vejam o que esta tristeza segundo Deus produziu em vocês: que dedicação, que desculpas, que indignação, que temor, que saudade, que preocupação, que desejo de ver a justiça feita! Em tudo vocês se mostraram inocentes a esse respeito. (2Co 7:10-11 NVI).

Arrependimento, no original grego “metanóia”, significa mudança de mente. A palavra remorso vem do latim “remorsu”, que significa um sentimento de aflição e tristeza, causado por um ato reprovável.

 

1.   ARREPENDIMENTO OU REMORSO

Arrependimento e remorso são dois sentimentos que se confundem e são marcados por uma grande tristeza e aflição. São sentimentos que diferem muito um do outro: O remorso não produz mudança, mas o arrependimento verdadeiro produz uma mudança de mente e atitudes. É através do arrependimento que a maldição será transformada em bênção. Remorso é tristeza causada pelas consequências de um pecado cometido, mas não propriamente pelo pecado em si, ou seja, se não houver consequências, não haverá tristeza e, não havendo tristeza pelo peso do pecado cometido, esse não levará a pessoa a uma mudança em sua vida.  Arrependimento é a dor profunda por ter ferido o coração de Deus através de um pecado, pois todo pecado afeta o nosso relacionamento com Deus. O arrependimento genuíno sempre nos capacita a confessar e deixar para trás o que aconteceu. Ao entender que Deus nos perdoou e que do nosso pecado Ele não se lembra mais, sentimos quão grande é o  Seu amor e a Sua infinita misericórdia.

2.   O VERADEIRO ARREPENDIMENTO

O Arrependimento não se resume a lágrimas, não se conclui no choro, mas evidencia-se pela mudança de comportamento e atitudes. Quando Esaú vendeu o seu direito de primogenitura e teve remorso do seu ato falho, buscou o arrependimento com lágrimas, mas não o evidenciou, “porque bem sabeis que, querendo ele ainda depois herdar a bênção, foi rejeitado, porque não achou lugar de arrependimento, ainda que, com lágrimas, o buscou.” (Hebreus 12:16-17). O Remorso não vai além da culpa e não é arrependimento. Remorso gera dor e indignação, mas o arrependimento produz transformação, mudança de mente, de comportamento e de abandono do pecado, gerando um novo estilo de vida em santidade. Mudar de vida não é estar ganhando mais ou sendo mais próspero. Mudar de vida é mudar o caráter mau e pecaminoso.


CONCLUSÃO

Arrependimento é uma mudança de ideia, de direção e atitude. O arrependimento, para ser realmente arrependimento, precisa trazer, em si, o desejo na pessoa de mudar de direção. É por isso que a Bíblia nos ensina a nos arrepender de nossos pecados e não apenas ter remorso deles.