HOME / COM a Gente / Estudo das Células / A Fé e a Lógica

A Fé e a Lógica

PRIMEIRA IGREJA BATISTA DO BRASIL

“2018 – ANO DA INTIMIDADE COM DEUS”

Célula de Multiplicação –  30.09.2018

Tema: A Fé e a Lógica

Texto:  Mc 11.22-24

 

INTRODUÇÃO

A fé é tão poderosa que é o único meio para Deus nos dar a Salvação Eterna através de Jesus: “Pela graça sois salvos por meio da Fé…” (Ef 2.8). Daí porque a fé em Jesus é o primeiro princípio do Evangelho. E não poderia deixar de sê-lo, pois qualquer um que quiser se aproximar de Deus, primeiro precisa crer que Ele existe ( Hb 1.6).

1.   A FÉ NÃO TEM LÓGICA

A fé nos dá a convicção da existência das coisas que esperamos, mas que, apesar de não vê-las, são verdadeiras, ou seja: não podemos ter esperança numa coisa que não existe.

A fé não tem lógica. A lógica é a ciência do raciocínio, é o resultado do conhecimento e tem, como base, as experiências vividas, isto é, está fundamentada no que se vê. A lógica tem uma explicação para tudo e a fé não se explica, porém se vive. O homem natural vive limitado pela lógica. Sempre tem uma explicação para as coisas e assim acha que está com a razão nos seus questionamentos. Porem, o homem espiritual vive pela fé naquilo que Deus falou -“Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura, e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido. Porque quem conheceu a mente do Senhor para que possa instruí-lo?  Mas nós temos a mente de Cristo.” (1Co2.14-15). Quando Pedro pediu a Jesus para ir ter com Ele andando sobre as águas, Jesus lhe disse: vem. Pedro pulou do barco e começou a andar sobre as águas. Como se pode estabelecer uma lógica num fato como esse que contraria a lei da física? Só encontramos explicação no sobrenatural e a fé é sobrenatural. A Palavra nos diz que Jesus, que é sobrenatural, é o autor e consumador da fé (Hb 12.2), mas da verdadeira fé – da fé em n’Ele que nasce da Palavra de Deus. Você crê, porque está escrito e foi Deus quem falou e, quando Deus fala, temos motivos suficientes para crer. Concluímos, então, que não é simplesmente dizer que tem fé, mas ter uma fé cujo fundamento está na Palavra de Deus.

2.  A FÉ E A VONTADE DE DEUS (Mc 11.22-24)

Analisando esse texto, podemos afirmar que a fé não tem limites, afinal está escrito: “TUDO o que pedirdes em oração, crede que o recebereis”.

Porém, na prática, nem tudo que pedimos a Deus, recebemos, mesmo quando estamos cheios de fé. Por quê? Veja o que nos diz a Palavra em 1Jo 5.14: “E esta é a confiança que temos nele, que se pedirmos alguma coisa SEGUNDO A SUA VONTADE, ele nos ouve.” Isto torna mais claro o que queremos dizer: não basta somente ter fé, temos que ter fé naquilo que é segundo a vontade de Deus. Quando falamos da vontade de Deus, estamos falando de tudo que Ele faz visando o cumprimento do Seu propósito. As circunstâncias podem nos levar a pedir a Deus algo que não está no Seu propósito. E, se não está no Seu propósito, consequentemente não está na Sua vontade. Dentro desse entendimento, podemos estar vivendo uma realidade visível, buscando alcançar coisas que entendemos ser necessárias à nossas vidas, mas contrárias ao que Deus quer para nós. Logo a chave é: precisamos entender qual é a vontade de Deus e onde está o Seu propósito dentro do que estamos Lhe pedindo.

 

CONCLUSÃO

Quem quiser conciliar a fé e a lógica, poderá ficar confuso, e não chegará a lugar nenhum, porque a fé é sobrenatural e o sobrenatural não se explica, mas se vive.